coisas minhas

isto dava um excelente título de 1 de abril

fisco penhora quatro bolos a restaurante por dívida.

podia ser brincadeira; abertura de telejornais, de notícias radiofónicas com momentos de grande galhofa em conversas de café.mas não é. aconteceu. o jornal económico explica os meandros da situação, e nós ficamos a saber que a penhora de bens perecíveis funciona como  ‘bullying’ fiscal. hoje era o dia em que abríamos um fórum para discutirmos o bullying como matéria per se,  depois abríamos o debate às diferentes categorias do mesmo. epifania brilhante, eu sei. quase fiquei eufórica, mas já baixei a níveis de normalidade pelo simples facto de ter agora realizado, que resolvi falar deste assunto no dia das mentiras. quem é me ia levar a sério?

só mesmo a Joana que me alertou para o destino infeliz daqueles quatro produtos de pastelaria fina. agradeço.

Advertisements

10 thoughts on “isto dava um excelente título de 1 de abril”

  1. Também li a notícia e só neste país é que alguém se lembra de uma coisa destas! Enfim … alguém queria fazer um lanchinho mais jeitoso e resolveu penhorar em vez de comprar. 🙂

  2. Até parece mentira não parece Mia? 🙂 Mas é verdade, verdadinha… E acho que só neste País, enfim…
    Mas e o que fizeram aos bolos??? Guardaram-nos no cofre para fazer prova do pagamento de penhora??? Secalhar ainda ganham mofo… Ou será que o estômago dos fiscais funciona como prova de que foi cobrada a dívida??? Divagações é o que é…

    Achei isto bem ao estilo da Mia, porque eu apesar de ler as notícias e até querer opinar sobre elas, não tenho o mínimo jeito na escrita… A Mia dá-me 1000 a 0 😉 Achei por bem partilhar com quem percebe de dissertações…

    Beijinhos grandes***

    1. Joana, eu não faço grande coisa. Há quem tenha “unhas” muito, mas muito superiores às minhas, a sua opinião é que me é muito favorável. Eu agradeço.
      Beijinhos
      🙂

  3. Quando a máquina fiscal é pouco fiável mas altamente agressiva ficamos a saber com aquilo que contamos (e não é bom)!

    Eu por mim tento pagar tudo a tempo e horas e rezo para não haver nenhum equivoco/lapso com o meu NIF!

    Já agora fica o esclarecimento: os bens penhorados tem de ficar a aguardar até que decorram os prazo legais da oposição à penhora (entre 10 a 20 dias, saldo excepções), após passados os prazos iniciam-se as diligência de venda dos mesmos (mais uns 20 dias, em média) e só aí trocam de mãos e se pode fazer alguma coisa com eles. No caso destes bolos é bom de ver que passados os prazos legais ninguém os quereria comer…

    1. Não há nada como cumprir com o provérbio; ” a César o que é de César”. Quanto ao esclarecimento, agradeço.
      Os bolos, esses, foram notícia por uns dias. Que bom para eles! 🙂

  4. Olá Mia !
    4 bolos ? 😦
    Terão sido bolos VIP – tipo( pastel de nata, duchesses) ou bolos comuns ( bolo de arroz , bolas de berlim )
    E a ASAE ? Terá sido informada ? Transportar 4 bolos … assim à balda .
    Depois,depois dá nisto,

    Beijo,
    José

    Nota : já não há respeito…nem pela bolaria !
    Agora imagina o respeito pelo contribuinte/nós !

    1. José, muito boa tarde,
      Comentário e música, tudo num só “Kit”, fantástico. Começo a ficar mal habituada.
      Se houvesse respeitinho neste país por alguma coisa e tudo funcionasse, onde íamos buscar assunto para alimentar algum tempo de ócio? 🙂 depois, era caso para dizermos :”fica-me a saudade….”

  5. Pensei o mesmo. Mas como li a noticia ontem, fiquei a rir sózinha. A rir, porque o caso está para alem dos limites da sabedoria e dignidade. Enfim…
    Resta perguntar, os bolos ficam a ganhar bolor? ou alguém lanchou à conta de alguem?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s