desabafos em rodapé

mas onde é que tinha a cabeça? (baseado numa história real)

e então, porquê? perguntais vós já a arder de curiosidade . porque, queridas pessoas que aqui vindes, se soubésseis o quanto há de tonteria aqui, no terceiro esquerdo, íeis mas é ver uma série , das boas, ou ler um best-seller, em vez de perderdes  tempo a ler baboseiras.

passo a explicar; por pontos, ou alíneas, ainda vou decidir…

por pontos; é mais fácil com  números do  que com o abecedário. vamos lá!

1. uma mulher trabalhadora chega a casa depois das dezanove horas; sou eu, está bem?

2. “lorde, nem lá vou, nem faço nada”, já se encontra nos seus aposentos preferidos- o sofá-, pois então.

3. Após inquirição breve sobre o que poderia ser o jantar, evita a resposta potenciadora de hipertensão, a saber: “qualquer coisa”, e avança para “frango assado”!

4. aqui a pequena acha a coincidência algo encantadora, mas só um bocadinho, pois vinha a pensar exatamente no mesmo, e decide que, sendo assim vai-se comprar.

5. convida sua “lordeza” a acompanhá-la, pois, esta que vos escreve, num ímpeto de loucura, acha que tem de fazer caminhada, e , por isso, aproveitando o motivo  faz um “dois em um”!

6. entretanto, sua lordeza declina o convite, pois como eu podia ver, estava a trabalhar enviado resmas de e-mails, os quais, não podiam ser adiados. problemas de quem pode trabalhar  a partir de casa. só chatices!

7. ainda assim, sou advertida da loucura que estou prestes a cometer pois as minhas pernas vão ressentir-se, e aquele repentino apetite, até lhe pode passar num ápice (sua lordeza desde há uns tempos não costuma jantar- debica!) seria assim importante, eu pensar melhor. sobranceira, desprezo a advertência e ponho-me ao caminho. afinal ia por mim.

8. para lá correu bem. a direito, curva à esquerda, ligeira inclinação, e agora, sempre a descer. como diz o ditado: ” para baixo todos os santos ajudam!”

9- aquisição feita (  há muito tempo que tal “preparo” não entra cá em casa), e ponho-me ao caminho.

10. tudo parecia correr bem. só que, agora no percurso inverso, não havia descidas, só subidas.

11. o frango, também conhecido por piu-piu,  animal espalmado que eu transportava em saco bem acondicionado sem qualquer adição de “molhanga”, começou a pesar-me…

12- primeiro, peso-pluma; mais um bocadinho de troço, e já acusava o peso de um galo com boa constituição para cabidela, a seguir, não tardou que me parecesse que estava a carregar  um rinoceronte, para acabar pensando que, na realidade, o que eu transportava era uma baleia sem penas, bem espalmada e cheia de hormonas de crescimento fácil.

conclusão: doravante, talvez pense duas vezes antes de me armar aos cágados. e se alguém quiser frango, vá buscá-lo!

muito bom dia.

Advertisements

26 thoughts on “mas onde é que tinha a cabeça? (baseado numa história real)”

  1. Ai Mia que já me ri tanto com a descrição desse episódio.
    Na próxima mais vale ser “qualquer coisa” do género uns ovos estrelados e uma saladinha e poupa-se a tantos cansaços. Suas lordezas estão certos( tantas vezes) a nossa teimosia é que nos trama.

    1. na próxima, que foi hoje, “habemos” peixe cozido que estava muito bem acondicionado no congelador à espera de uma oportunidade. quanto a sua lordeza…”no coments” 🙂

  2. Andas mesmo cansada Mia. Então um franganito de 300 gramolas pesa-te como um bisonte? E férias? Abracinho.

    1. Uva, olá! digamos que eu transportava à volta de sete euros de hormonas grelhadas na brasa…e , essa imagem, creio que foi isso que me colocou aquele peso sobre os ombros…não sou muito dada a estas maluquices, mas lá calhou!
      Férias? só mais “à la longue”! Cansada? É verdade! Até a pontuação me falha. As minhas vírgulas andam “pela hora da morte”
      Beijinho 🙂

  3. Adorei o texto Mia, que escrita deliciosa 🙂
    Quanto ao frango, é melhor mesmo não se pensar demasiado nas hormonas que isso tira o apetite a qualquer um 😦 E vezes não são vezes!
    Beijinhos*** Boa quarta-feira…

    1. Olá, boa noite. Bem, que não se fique com a ideia que aqui no terceiro esquerdo habita um par de imbecis :D; não; :D; isto foi um ímpeto , só isso! as minhas pernas é que ainda hoje se ressentem da “empreitada” – falta de exercício regular!
      Beijinhos

  4. Mia, este é que é um verdadeiro desabafo!! Solidariamento compreendido por mim!! No mais, adorei:):)
    Beijinho

  5. Mia, para a próxima avisa. tenho duas churrascarias aqui perto e levo-te o franguinho a casa, pensando melhor comemos-o os dois…é pá, o snob que petisque o que ainda tem por casa! Assim, fazes exercício e com menos esforço.

    Bjinho grelhado na brasa***

  6. Ai Mia a tua escrita e divinal! Da mais simples cena sai um texto literario com um sentido de humor excepcional! Quem estiver mal disposto pode entreter-se a ler o que escreves, e uma autentica vacina ( nao estranhes a escrita, nao e boa mas nao e assim tao ma, estou sem acentos no meu computador… 🙂 )
    Beijinhos

  7. Na próxima, peça para sua “lordeza” cozinhar ou diga que não tem nada chamado “qualquer coisa” na geladeira Hahahaha 😀
    Talvez funcione…
    Beijos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s