desabafos em rodapé

carta aberta à Heidi, lá das montanhas

Heidi, minha querida companheira,

Ouvi dizer, e li em jornais de referência (?) que estavas de regresso à têvê portuguesa. Sua safada, em primeiríssimo lugar, foste às tapas aqui dos vizinhos do lado, não foi? Porquê? Nós não temos petiscos ao teu nível , é? Estou a brincar! Muito bem vinda. Mesmo assim, continuo  surpresa com o anúncio de que haverias de nos visitar, e agora em versão 3D. Olha miúda, eu vi-te a ti, ao Pedro, à Clara e ao teu avô numa versão mais pobre, e o teu sorriso escancarado e os teus braços abertos, eram a tua imagem de marca, enquanto corrias desgovernada pelo verde da montanha que te servia de condomínio. Também soube que vens com carga menos dramática, só que ainda não percebi exatamente, o significado completo dessa frase. Também estou curiosa para saber se o teu avô ainda fuma cachimbo à entrada da vossa humilde casinha, e se o Pedro usa a mesma camisa e os mesmos calções durante toda a temporada. Aviso-te já menina, a tua plateia de hoje é muito mais exigente. Já não se diz “não sei que roupa vou vestir amanhã” agora, diz-se outfit. Já ninguém calça sapatilhas. Não. Calçamos ténis, barra, sneakers,  ou então, pronto, no limite, dizemos all stars, expressão que também nos define. A mim não, que já sou um bocadinho entradota para estas finezas. Eu ainda sou muita agarrada ao antigamente e procuro as sapatilhas para caminhar . Só um pormenor, vais-te rir,  repara tu, no inverno passado, cometi a heresia de pronunciar Kispo (é do teu tempo, não te ponhas agora também, com esquisitices). Estava a chover, Heidi – eu com chuva, uso terminologia antiga, muito clássica, mas Kispo! – por favor! – até para mim, foi demais. Ainda tentei lembrar-me se poderia dizer anourake, sabes, também serve muito bem com pingos que molham, mas depois lembrei-me de parka. Afinal, peguei na gabardine…espera, espera, mais uma heresia, já ninguém veste gabardine(a), agora, é tudo trench coat, e saí. Isto só para teres uma ideia do que vais encontrar. Creio que estarei já a maçar-te. Vou dando notícias. De ti espero que possas fazer bom serviço, tal como aconteceu há quarenta anos (quarenta???) abrir parêntesis não virás cheia de botox? fechar parêntesis. Termino com um grande beijinho. Vemo-nos por aí.

P.S. Não penses que o assunto se esgota aqui. Não. Isto foi só uma ligeira introdução.

Beijinhos, outra vez.

EU

avôzinho diz-me, tu….

Advertisements

23 thoughts on “carta aberta à Heidi, lá das montanhas”

  1. lol Tadita da Heidi! 😛

    Eu já fui obrigada a ver um episódio e acho que continua a ser uma treta (que me desculpem os fãs da Heidi): muito drama, muito grito e sempre as mesmas roupas. No episódio que vi o avô até tenta dar uma palmada ao Pedro… Não sei se os psicólogos vão gostar disso. 😛

    Beijinho e bom dia!

  2. Que delicia. Tinha encontro marcado todas as semanas com ela e com os demais… Será que vem com rugas? Ao fim destes anos todos, não me digas que ela vem melhor que eu ?!?
    Beijinho Mia

  3. Concordo com a T. os psicólogos não vão gostar da palmada (eu não sou psicólogo, mas conheço alguns)!

    Sempre preferi desenhos animados mais “animados” vi a Heidi muitas vezes, espero que não lhe mudem o nome como fizeram com a Anita 😦

  4. Heidi ver se consigo ver algum episódio da Heidi…tenho pena da menina da montanha a apanhar um choque tecnológico e quem sabe um choque térmico quando se apresentar ao povo neste clima tórrido que estou neste momento a sentir no Minho…Heidi ver quando tu chegares Heidi se gostas da nossa linguagem…Heidi, o acordo ortográfico chegou obrigatoriamente e por decreto à nossa comunidade…ai Heidi, Heidi ver se compreendes a linguagem da minha amiga Mia, ai Heidi ver Heidi!!!

    Beijinho carregado de saudosismo, mas tão carregado que nem sei se Heidi dar-te outro MIa, Heidi ter outra oportunidade ai isso Heidi Mia Heidi!!!!

  5. Eu tenho um kispo, uma gabardin(a) e um anourak.
    Estou totalmente baralhada.
    É tudo a mesma coisa?
    Help!

    1. Tu és uma exagerada; Uva. Percorrida pelo frémito consumista, tens léxico superlativo, e não agasalhos, é o que me parece. Mas há especialista que explicam isto, tenho a certeza.
      Beijinho
      Boa noite.

  6. Obrigada! Li o artigo (ou devo dizer, post) com aquele sorriso escancarado. Também não sei quem será esta nova Heidi. Mas imagino que tenha feito upgrade à moda da nova abelha maia… Não espero ansiosamente. Os meus pequenos vêm a velha Heidi em DVD’s que fui colecionando e não se incomodam com o cachimbo do avô, nem com a falta de ténis. E o que mais gostam é quando ela tira a roupa e corre em underwear e descalça pelos prados.
    Beijinho
    Marta

    1. Isso mesmo, Marta. As histórias que eu vi, tinham a sua graça, e eu gostava de ver. Penso que as crianças d ehoje precisam de simplicidade, aprender a brincar. têm tecnologia a mais.
      Beijinho,
      Mia

  7. Adoro seu senso de humor, Mia!!!

    hahaha…

    Adoro também a Heidi…tão lindo, bucólico, adorável desenho…oh…que lindo…vai voltar na tv portuguesa…

    Por aqui, nada…acho que nem na tv a cabo, somente pela internet…

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s