desabafos em rodapé

somos o que pensamos?

voara

Frases inspiradoras. Livros de autoajuda. Conselhos amigos. Tudo isso somado, não chega para aplacar certas aflições. E, quando elas chegam, nem sempre estamos tão carregadas de força e ânimo para lhes dar luta. Mas, mesmo assim, isto, convenceu-me. Vamos ver quanto tempo para acreditar que, de facto, assim possa ser. Será que, para além de sermos o que comemos, também somos o que pensamos?

imagem

Advertisements

16 thoughts on “somos o que pensamos?”

  1. Ora aqui está uma boa reflexão… Mas olhe Mia, que ultimamente começo achar que este título pode ter o seu ‘Q’ de verdade 🙂 Tenho achado que a nossa mente e os nossos pensamentos são demasiado poderosos e por isso ter pensamentos positivos ajuda de certa forma aliviar e levar a bom porto a nossa vida no dia-a-dia 🙂
    Já os pensamentos negativos conseguem exercer um poder mau em nós mesmos e fazer-nos sentir frágeis fisicamente mesmo que seja só na nossa cabeça… Fiz-me entender? Secalhar não… Olhe Mia, divagações do meu pensamento é o que é 🙂

    Beijinhos e boa Quarta-feira***

  2. Eu isso das energias…hum. Nunca fui mto à bola com os livros de auto ajuda. Mas n nego q a predisposição a fazer coisas ajude, tal como uma pessoa q baixe sp os braços, dificilmente, chegua a algum lado.

    1. Eu não nego à partida uma ciência que desconheço 🙂 🙂
      Tenho dias que acredito em tudo, noutros não acredito em nada, ainda outros, em que as aflições acreditam em mim, e não me largam. Mas sim , é verdade que não podemos cruzar os braços. Só agindo se chega a algum lado.

  3. É-me frequente o apelo ao pensamento na esperança de que este me ajude na mudança de tom desses “sussurros”. Na maioria das vezes, aceitando porém a ideia de que voar faz todo o sentido, não consigo evitar a queda. Suspeito de uma qualquer inefável essência que constitui cada um de nós com uma origem mais profunda e mais original do que o próprio pensamento pelo qual nos distinguimos, independente da Palavra, exterior à linguagem. Portanto, uma essência inefável, quiçá uma “energia”, o que somos, independente do que (como) existimos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s