coisas da vida, desabafos em rodapé

otimismo versus pessimismo

acid_picdump_88_60

é uma questão que às vezes me irrita. tenho ou não direito a ver a situação pelo lado negro,pelas consequências mais nefastas,  pelo prisma de pensar que não há solução, e que não haverá ninguém mais desgraçado? tenho.

 segue-se um momento, largo , de autocomiseração.

mas não se pode. é, hoje em dia, quase proibido. tudo tem de ser visto pelo ponto de vista do copo meio cheio.temos sempre de pensar que há pessoas que estão muito piores do que nós. logo, é de um grande egoísmo valorizar, assim, a nossa dor. a culpa assolapa-se na consciência, e tira-nos a tranquilidade para sofrer, cá, à nossa maneira. só que,  às vezes, apetece. pronto. sem culpas.

imagem 

Advertisements

19 thoughts on “otimismo versus pessimismo”

  1. Vi ontem “O Tigre e a Neve”. Benigni será, talvez, um optimista, lá está, um benigno da vida, que nos piores momentos acredita que é possível um outro fim, um outro fado, uma escolha, uma opção luminosa para as trevas. Se creio louvável esta atitude? Sim. Se existem pessoas assim, seja ou não Benigni uma delas? (aconselha-nos o actor/ realizador que sejamos felizes, ainda que tristes, ainda que em sofrimento) Sim. /

    A barra indica que suspendo (outros) juízos. Não sei, Mia.

    1. É um filme que não conheço, embora conheça sobejamente o ator e o seu jeito de ser nas mensagens que envia. Se as pessoas são mais felizes, por verem as situações pelo lado mais luminoso? creio que sim. conseguem ter uma perspetiva menos penosa e, talvez assim, aguentem melhor as contrariedades. acho que nem tenho dúvidas. é como ter fé. conheço pessoas com uma fé inabalável, e parecem-me tão seguras, tão tranquilas. penso que deve ser um sentimento muito bom, pacífico: o aceitar.
      nesta questão, em particular, o que me aborrece, no fundo, chateia-me, é a sensação de culpa que me assola quando penso que estou mesmo mal. naquele momento, apetece-me sentir assim. mas depois, vem a consciência balizar-me os pensamentos. “ser felizes, ainda que tristes”, é um exercício para os mais valentes, creio eu! tenho dias de capitulação. é só isso.
      boa noite, Kina.
      boa semana.

  2. O pessimista é um otimista evoluído, Mia querida. Pelo menos, é o que eu acho, já que sempre analiso o que pode dar errado em algo…kk
    Um grande beijo para você, minha tão querida amiga.
    Alex

    1. Olá, Alex, boa noite.
      É muito bom ter aquele espírito positivo. É uma pena que eu não consiga, na maior parte das vezes. Parto logo para a autocomiseração. É como digo no cometário anterior: capitulo. E não gosto de me sentir culpada por isso. Mas, vendo bem, a culpa, também somos nós que a chamamos ao palco. Como se diz muito agora, quando não se sabe dizer outra coisa: “é complicado”.
      Um beijinho e boa semana.

  3. Muito bem dito. Temos que nos dar oportunidade a chorar as nossas mágoas e a lamber as nossas feridas. Que há quem esteja pior? Isso há sempre. Também há quem esteja morto.
    Beijinhos, muitos!
    (E força, rapariga)

    1. Linda, boa noite.
      Tenho dias, momentos, vá, assim. hoje andei por essa latitude, daí o desabafo. mas são horas de enfrentar a noite que, logo, logo, por culpa do movimento de rotação faz-se dia, não tarda nada. E o Sol ajuda a enfrentar. Tudo parece mais fácil. Nem sempre, mas vamos fazendo por isso.
      Beijinhos e boa semana.

  4. Essa visão do copo meio cheio, na verdade, irrita-me!!! Sobretudo, se o vinho for bom…
    Se está numa de ver as coisas pelo lado negro… não me parece mal… até me parece bem… sugiro que comece pela Branca de Neve do João César Monteiro, pior não fica Mia.

    1. Nelson, bom dia,
      Foi filme que nunca vi, pese embora, não desgostar do realizador João César Monteiro. “Recordações da Casa Amarela”, é o que recordo melhor dele.
      Boa semana. 🙂

  5. Sabe qual é o problema Mia? É que agora há dicas e fórmulas de ‘qual o caminho para a felicidade eterna’… Sendo que a felicidade 24horas por dia não existe, é irreal e com estas coisas das redes virtuais as pessoas tendem a posar a sua positividade toda e felicidade extrema e parece não dar margem para a negatividade, para a infelicidade… Eu sou pessimista por natureza, tenho momentos felizes e momentos infelizes e negativos, há que respeitar o outro e dar espaço para exacerbar as nossas negatividades… E aí parece-me que resida o problema… Não nos devemos queixar porque há sempre um pior que nós? Que se dane… Estou momentaneamente infeliz, estou a ver o problema pelo lado negro, logo tenho todo o direito em exacerbá-lo e quiçá depois dessa reacção já consiga ver de um outro prisma mais positivo 🙂 As coisas nem sempre são o que parecem… Beijinhos grandes querida Mia.

    1. concordo, Joana. querem-nos ver felizes à força, mas há dias que nos apetece ceder à tristeza. não querendo afundar-me nela, tenho dias… 🙂
      beijinhos e boa semana.

  6. Adorei o texto. Para mim, a solidariedade mais profunda é aquela que nos leva ao silêncio diante da nossa dor e da dor do outro. Há pensamentos e sentimentos otimistas que são piores do que os pessimistas e há outros pessimistas que ajudam mais do que os otimistas. Depende muito do contexto. Abrs

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s