coisas minhas, desabafos em rodapé

sobre o dia de hoje

por enquanto, ainda não. mas é possível.

23795478_1586372861408901_7856264810160469604_n

Advertisements
coisas da vida, desabafos em rodapé

assunto em epígrafe

estou à espera dos óscares.

após:

“supernanny, sim ou não, o que é exposição, o que vai à CPCJ, ou fica por dizer”;

“d. manuel clemente e as suas opiniões”;

“do Carnaval que uns gostam, outros nem por isso, e há aqueles a quem lhes é indiferente”;

“dia de são valentim” que há de explodir em outfits e conselhos dedicados a todos os bons (e maus) amantes”, espero pelos óscares,  pra ver o que vai ser.

é uma excitação diária.

coisas minhas, desabafos em rodapé

samba e benção em conjunto

É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração

Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
É preciso um bocado de tristeza
Senão, não se faz um samba não

(…)

paradoxo?será?

vem com dicção separada com tantos litros de água salgada, mas com um balançar nas sílabas, na acentuação, numa cadência que só a beleza do samba tem.

benção, capitão do mato, vinicius de moraes.

 

 

desabafos de janeiro

o problema da natalidade

encolheu. há uma inversão, mas houve a preocupação há uns tempos de criar uma comissão para estudar o problema. as etapas que subjazem ao seu nascimento, devem ter sido, mais ou menos estas:

escolheram-se os membros, estudaram-se as benesses, verificaram se toda a gente conhecida foi contemplada com qualquer coisinha, e finalmente, reuniram o grupo de trabalho. uma vez completo, analisou, refletiu, usou de verborreia, mas depois aconteceu isto:

“Há cinco anos, criou-se uma comissão para debater a questão da natalidade, mas não houve uma política efectiva, apenas pequenas medidas, sem uma estratégia nacional. O país não decidiu que um dos seus grandes desígnios era aumentar a natalidade. Ao nível das políticas, há um discurso simpático que não é acompanhado de políticas efectivas.”

A comissão debateu, mas certo, certo, é que mais valia ter estado quieta. então para quê o dinheiro que se gastou com isto? deduzo que devem ser necessárias para ir ocupando pessoas arregimentadas.