coisas minhas

isto de escrever…

Há quem diga que escrever é triste. Outros, fazem-no de forma leviana. Ainda outros, acham que só eles podem dominar o terreno da escrita.Depois,  há os anónimos (eu sigo alguns) que escrevem bem demais para estarem escondidos num mundo virtual, onde já descobri  muita miséria pessoal e intelectual. Entenda-se por miséria pessoal, falta de carácter e pouca vergonha na forma como atuam nos seus blogs tão estatisticamente bem posicionados. Entretanto, há pessoas que mesmo estando fora, vão fazendo “mossa”aos de dentro. Lê-se no observador: “ somos um país de medricas e subservientes” . É uma entrevista para ler e meditar.

 Isto de colocar palavras e acentos, vírgulas e pontos em terreno tão árido como o papel, e daí, resultar uma colheita feliz, não é nada fácil. Ele consegue-o . Claro que muitos outros também, no entanto, fixei-lhe este comentário que transcrevo:

Não se sente ressentido com o ostracismo a que foi votado em Portugal durante várias décadas? Afinal o seu primeiro livro,Montedor, saiu em 1968 e depois teve vários livros bestseller na Holanda, mas cá ninguém o publicava.

Não, ressentido não. É normal, eu não vivo cá e o meio é pequeno e para poucos. Mas custou-me quando me deparei com uma certa maldade, como no ano em que estive na feira do livro de Frankfurt. Tinha publicado na Holanda o Portugal, Um Guia para Amigos, que vendeu mais de 200 mil livros, esgotou dez edições. Então o meu editor holandês decidiu ir a Frankfurt levando apenas o meu livro. O stand da editora (a segunda mais importante da Holanda) estava coberto com fotos da minha cara e eu estava lá. Passaram ali escritores, editores e jornalistas portugueses que eu conhecia e nenhum deles me cumprimentou. Baixaram a cabeça ao passar. Isso magoou-me muito.

até mais logo.

Advertisements

6 thoughts on “isto de escrever…”

    1. em português, Giuliana, pois não o sei fazer em italiano, digo-lhe que nós portugueses temos muitos defeitos, mas também muitas qualidades, só que, às vezes…
      😀

  1. Quanto a esconder-se no mundo virtual, tenho a dizer que também é possível esconder-se no papel. Só que sai mais caro. Basta publicar, às próprias contas, um livro em tiragem pequena. Ninguém lê. O anonimato é garantido. 😀

    1. É verdade, Laércio.
      Infelizmente, por cá, às vezes somos confrontados com notícias deste teor: pode ler aqui http://www.dn.pt/portugal/interior/livro-de-socrates-foi-escrito-por-professor-catedratico-4479090.html
      Depois, os processos arrastam-se e andamos de especulação em especulação. No entanto tratando-se de quem se trata…. tudo é possível.
      Se ler a notícia (caso tenha paciência, vai encontrar alguém conhecido…)
      Envergonha-me como cidadã deste país.
      Mas não se pense que é só este “senhor”. Há mais casos. E na política, digo-lhe, estou cada vez mais cética. Tenho pena. É uma área que devia merecer o maior respeito de todos.

      1. Pelo visto não foi só o livro que foi escrito por outrem. O prefácio também, ao que tudo indica… E, pelo visto, a política causar vergonha é um fenômeno transnacional, pois subscrevo seu comentário final…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s