coisas da vida, coisas minhas, desabafos em rodapé

estou indecisa

apareceu-me um teste enviado por uma entidade que não conheço muito bem, a propor-me que escolhesse uma imagem escura, para perceber se eu sou psicopata. ainda hesitei: faço, não faço? mas depois, não fiz, porque sei que sou muito psicopata ao nível de querer esganar todos os irresponsáveis que por esse mundo desafiam aquilo que as pessoas mais esclarecidas recomendam. acho que fiz bem em não gastar tempo numa evidência que já sei que me assiste nestes casos mais agudos que a estupidez humana contempla. por estes dias há muito que fazer para nos mantermos mentalmente sãos, afinal, em casa, pelo menos por agora, não nos falta nada, – tomara que todos o pudessem assim afirmar – daí que não nos pareça tudo assim tão negro. há quem esteja a cuidar para que nós possamos beneficiar de um amanhã mais calmo. que chegue depressa, e não desesperemos.

fiquem bem.

desabafos em rodapé

andei a ver pandas

na troca por imagens de pessoas aglomeradas em marginais ensolaradas, como se de um fim de semana isento de preocupações se tratasse. por isso,  dediquei-me a ver vídeos sobre a vida animal, onde os pandas foram os eleitos. fiquei bem mais disposta, e os níveis de azia baixaram, o que é muito bom para a saúde. recomendo. para já é tudo. vamos ver corre o resto do dia,

coisas minhas, desabafos em rodapé

disparidades

preciso de fazer exercício. todos os dias penso estar apta a mexer-me mais, e prometo sempre que amanhã é que vai ser. nunca foi, desde segunda-feira até hoje. depois, culpas e remorsos, enquanto vasculho receitas saudáveis, para me penitenciar. a seguir vou à despensa buscar uma tirinha/snack, de uma marca muito biológica, com um sabor maravilhoso, e textura muito simpática, que dá vontade logo de repetir – mas não se pode- e penso que naquele descer e subir de escadas já vai um nadinha de alguma coisa. é de noite, e não pus em prática fosse o que fosse que ontem tenha pensado. inclusivamente, achei que podia pôr em prática o movimento:  # e o que fizeste, hoje? e era ver pra aí desabafos, que eu sei lá. mas depois, achei que me estava a meter na vida das pessoas e achei melhor recuar na intenção. recuei. de resto, vai-se andando.

boa noite.

coisas da vida, desabafos em rodapé

a batata palha está esgotada na minha mercearia

comprei um queijo de cabra fresco e um pacote de manteiga. não desperdicei a viagem. cheguei a casa e disseram sobre a possibilidade de decretar estado de emergência, comentários e opiniões, e da minha janela nem vivalma, não, minto, uma senhora entrou na papelaria onde vendem jornais, papel cavalinho, cadernos A4 e outros tamanhos, para além de tinta da china. em tempos venderam raspadinhas. agora não sei. vendem tabaco. isso vendem. já vi numa prateleira, daquele “faça você mesmo”, para expelir fumo a seguir, e outro que vem já compostinho naqueles rolinhos brancos. isqueiros, não sei se há. sei que tem prendas para o dia do Pai. vi na montra de manhã, quando passei, e não trouxe a batata palha. a sopa de legumes até estava boa, e logo me esqueci da importância do bacalhau à brás. talvez amanhã. parece que já vai haver. batata palha. o bacalhau já tenho.